Especialista do Centro Oncológico do Triângulo - COT - alerta sobre os problemas e a importância do diagnóstico precoce no caso de doenças

Responsável pela morte de 6 milhões de fumantes por ano, o vício do cigarro também acende o alerta para um dado que preocupa especialistas e autoridades relacionadas à saúde: de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo passivo mata 600 mil não fumantes anualmente em todo o mundo, sendo que 165 mil são crianças com menos de 5 anos de idade. O Dia Nacional de Combate ao Fumo, que será lembrado no próximo dia 29/08, também é uma oportunidade para promover um alerta à população sobre os malefícios do cigarro, que está relacionado ao desenvolvimento do câncer e outras 50 doenças, principalmente ligadas ao coração e à circulação. Além disso é importante estar atento e fazer acompanhamento pois o diagnóstico na fase inicial é fundamental para o sucesso do tratamento.

O médico oncologista do Centro Oncológico do Triângulo - COT, Fernando Maciel, faz um alerta sobre o risco do tabaco não apenas para o fumante, mas também para quem convive com um. “A cada tragada, um fumante inala aproximadamente 4.700 substâncias tóxicas, como a nicotina, que provoca problemas cardíacos e vasculares, o monóxido de carbono (CO), que reduz a oxigenação sanguínea no corpo, e o alcatrão, que contém produtos cancerígenos, como polônio, chumbo e arsênio. O fumante passivo também inala estas substâncias, pois estima-se que a cada três cigarros consumidos por um fumante à sua volta ele absorva o correspondente ao consumo de um cigarro. Além disso, a fumaça em contato com o ambiente contém o triplo de nicotina, monóxido de carbono e 50 vezes mais substâncias cancerígenas do que é inalado pelo fumante”, alerta o especialista.  

Em relação ao tratamento, Dr. Fernando lembra a importância do diagnóstico precoce. “O câncer de pulmão é o mais comum relacionado ao tabagismo e existem diversos métodos para detecção desta ocorrência, como a radiografia de tórax, tomografia computadorizada e citologia de escarro, dentre outros. O que aconselhamos é que fumantes e fumantes passivos busquem orientação médica e acompanhamento de sua saúde”, esclarece o oncologista clínico do COT.

Números sobre o cigarro

No Brasil, o tabagismo é o responsável por 12,6 % de todas as mortes que ocorrem no país em pessoas maiores de 35 anos. Se o cenário se mantiver como o atual, estão previstas mais de 8 milhões de mortes por ano a partir de 2030, sendo que mais de 80% dessas mortes devem atingir pessoas que vivem em países de baixa e média renda.


Fonte: Assessoria de Comunicação do Centro Oncológico do Triângulo - COT
Bookmark and Share
Faça parte do movimento TJCC
© 2016 Movimento Todos Juntos Contra o Câncer | Todos os direitos reservados | Desenvolvido pela equipe ABRALE