topo site congresso 2017
 
"Os masterclasses do 4º Congresso TJCC são espaços para discussões e apresentações de temas specíficos nos quais o patrocinador poderá realizar seu evento para público selecionado."


Dia 28 de Setembro - Masterclass
 

08h30 - 09h00

  • Credenciamento

    Preparação das salas

09h00 - 18h30 | Ballroom 1

  • ATS – Avaliação de Tecnologias em Saúde
    ABRALE

    Resumo

    Trata-se de um encontro internacional que será promovido pelo Movimento Todos Juntos Contra o Câncer facilitado pelos maiores especialistas do Brasil e do mundo para fomentar o diálogo multisetorial sobre a questão da Avaliação de Tecnologia em Saúde no Brasil, entre representantes de órgãos como CONITEC, ANS, ANVISA, instituições de ensino e pesquisa e associações de pacientes do Brasil. 

    Palestrantes


    Merula Steagall

    Presidente da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) e Presidente da Associação Brasileira de Talassemia (ABRASTA)


    Dr. Altacílio A. Nunes

    Coordenador do Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP (NATS-HCFMRP/USP)


    Dr. Artur Felipe Siqueira de Brito

    Diretor do Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde


    Dra. Raquel Lisboa

    Gerente Geral de Regulação Assistencial da ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar


    Dr. Luciano Paladini

    Avaliação de Tecnologia de Saúde na Consultoria Evidencias


    Jean Mossman

    London School of Economics and Political Science


    Dr. Renato Porto

    Diretor de Regulação Sanitária na Agência Nacional de Vigilância Sanitária

     

09h00 - 13h15 | Ballroom 2

  • Captação de recursos e a sustentabilidade das organizações
    ABCR

    Resumo

    Na masterclass vamos debater o financiamento das organizações da sociedade civil, com especial atenção àquelas que atuam com a causa do câncer. Vamos apresentar o conceito da captação de recursos e a sua importância estratégica para garantir a sustentabilidade das organizações, debatendo os princípios, requisitos, fontes de recursos e principais técnicas de captação. A partir da teoria vamos apresentar casos e exemplos de organizações que estão diversificando sua receita e profissionalizando a captação de recursos, e vamos desenvolver atividades práticas que exemplificam o conceito. Por fim, traremos também ferramentas para os profissionais que quiserem aprofundar o seu conhecimento sobre o tema.

    Palestrante

    João Paulo Vergueiro
    Diretor Executivo da ABCR – Associação Brasileira de Captadores de Recursos. Professor Assistente da FECAP, administrador e mestre em administração pública pela FGV-SP, com bacharelado em Direito pela USP. Foi Assessor de Financiamento de Projetos da organização britânica Christian Aid e Gerente de Comunicação do IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social. É, voluntariamente, Coordenador do Grupo de Excelência de Gestão do Terceiro Setor, do Conselho Regional de Administração de São Paulo, e também Diretor da Kibô-no-Iê.


14h15 - 18h30 | Ballroom 2

  • Marco regulatório e advocacy
    Mattos Filho

    Nesta sessão o organizador descreverá os principais pontos da Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, instituído em 2014.
    Serão descritos também aspectos de advocacy no terceiro setor, ferramenta importante para alcançar objetivos pretendidos pelas organizações.

09h00 - 13h15 | Ballroom 3

  • Sustentabilidade das inovações tecnológicas para promoção, prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer no Brasil
    Abrale

    Contexto:

    Nos últimos anos, o Governo Brasileiro, pressionado pela crise, tem tido algumas dificuldades para incorporar novas tecnologias e medicamentos para o tratamento do câncer. Os órgãos técnicos responsáveis pela aprovação de novas patentes na área de saúde – a CONITEC, a ANVISA e o INPI – têm enfrentado alguns entraves burocráticos que não permitem que novos medicamentos e tecnologias estejam a disposição do SUS e da saúde suplementar. Estas questões poderão se agravar nos próximos anos sendo necessários processos de discussão entre governo, produtores, pacientes e sociedade civil para que caminhos alternativos à judicialização da saúde, um atalho longe de ser o mais adequado para o acesso a tecnologias, possam ser colocados para tornar sustentável a inclusão desses novos tratamentos.

    É necessário refletir sobre como reduzir a brecha entre o financiamento e as necessidades de promoção, prevenção, diagnóstico precoce, gestão clínica e tratamento para que se possam evitar novos casos e salvar mais vidas de pacientes que venham a ser diagnosticados com câncer na sociedade brasileira.

    Por fim, é necessário incorporar novas formas de gestão do câncer, substituindo a atual forma de gestão baseada nos processos por uma gestão baseada em valor (value based health care), onde sejam modificados os incentivos com vistas a recompensar qualidade, melhores resultados e menores gastos com os programas de câncer.

    Objetivos:  

    Diante deste quadro, o objetivo desta oficina de trabalho no âmbito do 4º. Congresso Todos Juntos Contra o Câncer, é discutir, com o Governo, a Indústria, a Sociedade Civil, as Associações de Pacientes, o SUS e a Saúde Suplementar o processo de como tornar sustentável a incorporação de tecnologia na promoção, prevenção e tratamento do câncer no  Brasil, buscando propostas e soluções que permitam avançar no acesso oportuno ao tratamento e na melhoria da qualidade de vida dos brasileiros que venham a ser vítimas de câncer.

    Outro importante objetivo é a melhoria da qualidade da informação sobre câncer e dos processos de avaliação e monitoramento dos programas existentes. Se buscará, entre os participantes, elementos para a definição de indicadores que sirvam para monitorar e acompanhar os progressos na promoção, prevenção, tratamento e reabilitação em oncologia no Brasil, através de propostas dos participantes que permitam criar um Balance Scorecard que será utilizado para dar seguimento, aos acordos e propostas discutidas pelos participantes. Estes indicadores podem ser divididos em três grupos: 

    a) indicadores de resultados, buscando saber os progressos como casos evitados por promoção e prevenção; casos salvados por por detecção e tratamento precoce; taxas de mortalidade e morbidade específicas por sexo e idade e outros;
    b) indicadores de eficiência e efetividade, relacionados ao custo dos tratamentos com sucesso, custos dos casos evitados de acordo com os principais tipos de câncer e outras formas de análise econômica e custo-efetividade;
    c) indicadores de qualidade e gestão, onde serão medidos os tempos de tratamento com sucesso, indicadores de desempenho ambulatorial e hospitalar associados ao câncer, acesso a medicamentos e tratamentos completos e outros, por tipo e modalidade de câncer, incluindo os temas associados a satisfação e feedback dos usuários, dos profissionais envolvidos e da sociedade civil.
    Também serão utilizados dados que permitam monitor o nível de equidade do acesso às políticas de promoção, prevenção e detecção precoce, bem como ao tratamento e reabilitação.

    Audiência:

    A oficina de trabalho deverá contar com a participação do Governo, de entidades representativas dos pacientes, de setores da indústria de medicamentos e equipamentos médicos e do setor público federal, do Estado e do Município de São Paulo. A audiência deverá ser super qualificada e convidada a participar com antecedência e deverá compor um conjunto de não mais de 40 participantes, de modo a dar a oportunidade para que todos contribuam e agreguem aos trabalhos que serão propostos.

    Dinamica:  

    O masterclass será preparada por uma consultoria, que nos auxiliará na estruturação e moderação do evento bem como com a consolidação do que for discutido e publicação de um relatório final que contenha uma declaração de consenso.

14h15 - 18h30 | Ballroom 3

  • O impacto da Pesquisa Clínica no tratamento do paciente com câncer
    Abrale

    Sobre o workshop:

    Trata-se de um encontro que será promovido pelo Movimento Todos Juntos Contra o Câncer facilitado pelos maiores especialistas do Brasil para fomentar o diálogo multisetorial sobre a questão Pesquisa Clínica em Oncologia no Brasil, entre representantes de órgãos como CONEP, ANVISA, DECIT, médicos, instituições de ensino e pesquisa e associações de pacientes do Brasil.

    Objetivos:

    O Objetivo desta oficina de trabalho no âmbito do 4º. Congresso Todos Juntos Contra o Câncer, é mostrar a realidade atual com todas as dificuldades e um cenário ideal, onde queremos chegar, através de uma política de estado robusta para Pesquisa Clínica nacional e internacional, em especial para o tratamento do Câncer, com a participação de todos os envolvidos. 

    Dinâmica:

    A oficina de trabalho iniciará com a apresentação de 5 painelistas para um grupo de 40 pessoas, envolvidas com o tema. Após as apresentações, serão formados grupos para discutir os pontos levantados e apresentar as possíveis soluções em debate que finalizará a programação. 



    Palestrantes:


    Rafael Laurino

    Associate Director - Clinical Operations Brazil at Bristol-Myers Squibb

    Dr. Fabio Franke

    Presidente da Aliança Pesquisa Clínica Brasil, Fábio Franke é médico coordenador do Centro de Alta Complexidade em Oncologia Clínica (CACON) do Hospital de Caridade de Ijuí (RS) e investigador principal do Centro de Pesquisa Clínica da instituição. Com graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, possui residência médica pelo Hospital Nossa Senhora da Conceição e especialização em Oncologia Clínica pela Sociedade Brasileira de Cancerologia.

    Felipe  Fagundes Soares

    Consultor técnico da Coordenação de Pesquisa Clínica do Decit/SCTIE/MS.

    Senador Waldemir Moka

    Representa o PMDB como Senador da República pelo estado de Mato Grosso do Sul com mandato de 2011 a 2019

    Dr. Fernando Maluf

    Oncologista, Fundador do Instituto Vencer o Câncer, Chefe da Oncologia Clínica do Centro Oncológico Antonio Ermírio de Moraes e membro do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein

    Dr. Breno Gusmão

    Oncologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo e do Instituto Vencer o Câncer

    Dr. Luis Eduardo Rosa Zucca

    Médico do serviço de Oncologia Clínica da Fundação Pio XII - Hospital de Câncer de Barretos, sendo coordenador médico do Departamento de Oncologia Clínica desde 2014, gerente médico da Unidade de Pesquisa Clínica desde 2015 e representante do Win Consortium desde 2016.

09h00 - 11h00 | Ballroom 4

  • Lançamento do MOC - Controle da dor
    Mundipharma

    1. Importância dos cuidados de suporte no tratamento do câncer Evidência científica
    2. Lançamento Manual de Oncologia - Controle da Dor

    Moderadora:
    Luciana Holtz Presidente do Instituto Oncoguia

    Palestrantes:
    Dr. Sam H Ahmedzai Professor Emérito no Departamento de Oncologia da Universidade de Sheffield - Reino Unido
    Dr. Fernando Maluf Oncologista Clínico - BP / São Paulo/SP
    Dr. Daniel Forte Presidente da ANCP - Academia Nacional de Cuidados Paliativos
    Dra. Mirlane Guimarães Especialista em Dor - Instituto CECON - Manaus/AM
    Dra. Andrea Ferrian Oncologista Clínica - BP / São Paulo/SP
    Enfa. Verônica Moura Enfermeira Depto. Oncologia Clínica - BP / São Paulo/SP

11h15 - 13h15 | Ballroom 4

  • Sistemas de Saúde no Brasil (público e privado), Acesso e Avaliação de Tecnologias em Saúde
    Janssen-Cilag

    Sobre o Workshop

    A incidência de doenças crônicas não transmissíveis na população brasileira cresce a cada dia, assim como aumenta o impacto causado por elas na vida dos pacientes e no sistema de saúde.

    Nesse cenário, novos tratamentos são cada vez mais importantes para garantir a saúde e a qualidade de vida das pessoas. Cerca de 40% do aumento na expectativa de vida no mundo, entre 1986 e 2000, se deu em função de novos medicamentos. Atualmente, 2 em cada 3 pessoas diagnosticadas com câncer sobrevivem por 5 anos, comparado com 1 a cada 3 em 1964.

    Para que essas tecnologias continuem chegando a quem mais precisa, ­é necessário que todos os agentes envolvidos no sistema de saúde, conheçam seu funcionamento.

    Objetivos

    Esse workshop visa contribuir com a profissionalização do sistema de saúde por meio da capacitação de profissionais de saúde, pacientes, representantes de ONGs e associações, jornalistas e demais interessados para participar ativamente desse sistema.


    Palestrante:


    Denizar Vianna Araujo

    Professor Associado do Departamento de Clínica Médica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Coordenador de Centro de Excelência em Avaliação Econômica e Análise de Decisão da ProVac Network - Pan American Health Organization (PAHO).

14h15 - 18h30 | Ballroom 4

  • Articulando redes de cuidado para o aprimoramento da Política Nacional para a prevenção e controle do câncer - Planos estaduais e regionais de Oncologia
    Abrale

    Objetivos

    O objetivo desta oficina de trabalho no âmbito do 4º. Congresso Todos Juntos Contra o Câncer, é discutir, com o Gestores Estaduais e agentes envolvidos na formulação e implementação das ações em oncologia nos âmbitos estaduais e regionais, viabilizando avanços na atenção oncológico, de acordo com as diversas realidades do país, proporcionando uma vivência no processo de planejamento e intervenção no cuidado oncológico a nível local, replicando e adaptando as diretrizes da Política Nacional para a Prevenção e Controle do Câncer.
    No percurso deste workshop serão abordadas metodologias de trabalho para aperfeiçoar e compreender o papel do gestor estadual na Oncologia.


Notice: Undefined offset: 0 in /home/abral150/public_html/sites/tjcc_joomla/modules/mod_onpageload_popup/helper.php on line 22
Bookmark and Share
Faça parte do movimento TJCC
© 2016 Movimento Todos Juntos Contra o Câncer | Todos os direitos reservados | Desenvolvido pela equipe ABRALE